Skip to content

Filha da Noite

22/03/2010

Luz Obscura
Que Clareia a escuridão
E da alma mais pura
Paira em mim a Solidão
 
Nos meus lábios, tocam o nada
Em Muitos morbidos a satisfação
E a luxúria destes saciada
Prevalece o vazio em meu profano coração
 
Aprendi o ódio com o amor
A loucura inválida
Filha da noite eu sou
Em minha face a figura pálida
 
Negro Interior
Frestas de luz
Minha inferioridade Superior
Que as trevas me conduz

Poema de Guinevere Vigéé Lebrum

Retirado de: http://vampiros-reais.blogspot.com/2009/07/poemas-vampiricos.html

Anúncios
No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: